Unicidade


Os sentimentos nos levam a cometer erros cruéis com a nossa própria existência. Queremos ser especiais nas relações. Um(a) amigo(a) inidispensável ou um(a) companheiro(a) especial. Nada mais equivocado. Não somos únicos para ninguém e nem deveríamos ser. Nada mais egoísta do que acreditar - e cobrar - que sejamos o centro das atenções de alguém. Não somos e nem podemos ser. A individualidade é o bem mais precioso e, através dela, descobrimos o nosso real valor.


Podemos ser alguém importante para alguém, assim como temos pessoas importantes para nós, mas sermos o tudo e o todo é uma utopia que, como uma lança, irá nos ferir a alma, mais cedo ou mais tarde. Vê-se o castelo de areia se desmanchar e misturar-se com os outros grãos comuns. E não é culpa de ninguém a não ser de nós mesmos.


Aprender a amar-se, independente das relações, é um salto importante para a maturidade pessoal. Não importa se alguém mais nos ama. O que importa é que, ao olhar-se no espelho, encontre-se inteira, bela, cheia de vida e de amor próprio. O que vier a mais, será sempre a mais (e isso é ótimo!), mas nunca o elo que faltava entre você e a sua própria existência.


Sentimentos como coletividade, cumplicidade, amizade e dedicação são nobres e necessários, mas nada, absolutamente nada pode superar o amor próprio. Do mesmo modo, o amar-se não deve ser confundido com egocentrismo.

Não.

A questão é saber ser feliz sem depender do amor alheio. É entender que, ser o número primo, não é solidão, mas a mais completa independência emocional.


(Imagem de André Brito: http://www.andrebrito.com/ )

Comentários

Paulo Pavesi disse…
Muito bom o texto!
Adorei...
Dila Pereira disse…
É perfeito o teu texto, Érika. Adorei.

Lembrei-me de um outro texto que eu sempre tive na minha bancada de trabalho, cujo titulo era "jamais se abandone", e dizia que devemos nos bastar sempre.. mas havia uma frase que sintetizava tudo e que me marcou demais ! Fixou na minha mente.

"As pessoas se completam não por serem metades, mas por serem pessoas inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e ...VIDA!!!"

E reler esta frase todos os dias, sempre me fazia lembrar que eu era uma pessoa completa, inteira e que não devia depender emocionalmente de ninguém. A 'vida' de outra pessoa é um fardo grande demais para qualquer um poder suportar.

E ler você ontem, em um momento em que eu estava sentindo um peso sobre os meus ombros, reavivou esta frase em mim. E me recordei que da mesma forma, não podemos arcar com a felicidade do outro.

Felicidade não pode ser suprida, apenas compartilhada !!

Obrigada !!!