Esta maldita Primavera!


Olhe bem esta foto. O que você acha que são essas coisinhas esbranquiçadas no ar? Pulverização? Não. Sistema de irrigação? Também não.


São pólens! Uma nuvem de pólens! Você acha isso lindo? POIS NÃO É LINDO! É pavoroso! Dá uma alergia dos diabos! E o que eles fazem? Semeam flores que darão mais e mais pólens. Isso deveria ser combatido seriamente! Deveríamos discutir isso no Conselho de Segurança da ONU porque pessoas como eu, que estão à beira da loucura por causa dessas coisas, podem cometer um ato insano a qualquer momento!


Eu não imaginava o quanto minha vida era simples sem a Primavera. E a minha ingenuidade foi tão grande, que passei o inverno todo (o que, na Itália, entende-se por cinco meses) contando os dias para a Primavera chegar! E, quando ela começou, não me continha de tanta felicidade... até que, um dia, fui atacada por aquelas coisinhas praticamente invisíveis!

Eles voam pelos ares com qualquer brisa e, o que deveria ser um sopro refrescante, torna-se uma fonte de pavor! Quando venta, então, eu me escondo atrás de qualquer coisa ou pessoa que encontro na rua! Veja se isso não é caso de segurança pública!?

Basta uma brisa fresca para imaginá-los voando, em busca de uma lugar onde possam reproduzir-se e onde elas escolhem cair? Nos meus olhos, dentro da minha garganta e narinas! Por que? Daqui não nascem flores! Mas eles não se importam. Querem me atacar como se fossem as únicas mucosas no mundo!

No começo, eu não os via, sentia somente aquela coceirinha no nariz que, eventualmente, ficava entupido. Alguns dias depois, foram os olhos. Seria conjuntivite? Não, meus amigos. Embora a coceira, a dor, a sensação de areina nos olhos sejam as mesmas, é APENAS alergia aos PÓLENS!!! Estes malditos seres malignos, filhos da maldita natureza!

E, se não bastassem olhos queimando, nariz entupido, coçando e ferido, a garganta começou a fechar. Pensando bem, melhor assim! Impede que estes terríveis pontinhos invisíveis agarrem-se aos meus pulmões. Nem quero pensar! Seria como uma possessão polinística de todo o meu ser! Sinto-me quase como uma das vítimas daquele filme "Invasores de Corpos". Aquele das abóboras, sabe?... nem pensar!

Noites e noites assoando o nariz até que, altas horas da madrugada, o instinto me diz: "molhe-se! Entre embaixo de uma ducha e mande tudo ralo a baixo!". Numa tentativa desesperada de livrar-me daquelas coisas pegajosas, entrei no banho. À medida que a água escorria, sentia-me mais leve... quilos mais leve! Eram os malditos pólens saindo do meu corpo! Eu não acreditava... que delícia!

Saí do banho respirando fundo e feliz. Até que olhei-me no espelho... meus olhos eram pequenos riscos entre pálpebras inchadas e avermelhadas. E, dentro destes riscos, um globo vermelho e... coçando. Não, não podia ser... aquela aquaceira toda não deu conta destes abomináveis grãos?

Não. Não havia sido suficiente. Os olhos ainda coçavam e metade da noite ainda me esperava.

Com o passar dos dias, conheci dezenas de práticas diferentes para combater esta alergia tão comum nos países acima da linha do Equador. Fiz todas. Nehuma adiantou.... anti alérgicos, lavagem nasal, spray nasal, banhos várias vezes por dia, troca de roupa a cada retorno da rua (quando saio!), óculos escuros, óculos de grau, qualquer coisa que proteja os olhos. Ainda não usei uma: a máscara. Mas não hesitarei em praticamente esconder-me por trás de tudo que me proteja destas partículas miseráveis!

Estas coisas são minúsculas e estão por toda parte! Abro as janelas de casa para circular o ar e, segundos depois, posso vê-los entrando, às gargalhadas, no meu santo lar. Aderindo às minhas almofadas, lençóis, toalhas, tudo o que possa entrar em contato com meus pobres olhos e nariz. Fecho as janelas, fico sufocada dentro de casa e corro para o chuveiro... de novo!

Acreditem, a Primavera pode trazer com duas coisas horríveis. Os pólens e a paranóia dos pólens, o que é ainda pior! Uma tortura psicológica e apavorante da batalha contra um inimigo invisível e minúsculo que elimina a sua paz e sua a capacidade de apreciar o belo.

Os fundos da minha casa dão para um parque delicioso! Com brinquedos e .... flores! E, por isso, (pelo menos na Primavera) não posso fazer uma caminhada ou um picnic com a família. Até posso.... mas não devo.

Teimosa como sou, esta semana, fui à casa de uma amiga e ficamos no quintal dela, por longas três horas. Nossos filhos brincavam e nós conversando, rindo e nos divertindo. Naquele quintal havia o que? Um jardim delicioso. Preciso dizer como foi minha noite? Preciso.

Não tive noite! Resumindo, meu nariz tem rachaduras de tanto assoá-los. Os olhos... que olhos? Essas coisinhas vermelhas escondidas sob duas bolsas enormes? Boca e garanta secas e... uma raiva danada!

Eu queria tanto que a Primavera chegasse! Algumas pessoas se perguntam como eu, que morava em São Paulo, posso ter uma reação dessas aos pobres pólens! Pois é exatamente isso! Em São Paulo, a poluição é constante e o ar está sempre sujo, o que tornou-me (pouco a pouco) habituada a ele. Mas, aqui, depois de um inverno rigoroso que praticamente esteriliza o ar, a chegada da Primavera o muda radicalmente, o que não acontece em São Paulo.

A alergia é uma reação excessiva a um agente externo. Talvez, se alguém me mandasse um frasquinho com ar poluído de São Paulo meu corpo ficaria tão em êxtase que esqueceria de brigar com os pólens!

Este ano já está perdido. O jeito é esperar a Primavera acabar (o que acontece daqui a dois meses!) e, ano que vem, tomar as medidas preventivas já no início de março. Porque, apesar de tudo, a Primavera aqui é linda e os pólens não me vencerão!

Comentários

Christinna disse…
Amiga...voce tem falado tanto nisto, e sei o que Carol passa por conta disso na Europa. Mas teve momentos que ri muito.rsrsr. Essa tua narrativa da guerra entre voce e os polens,foi a do domingo.Só sei
que teve momentos que eu já estava coçando o nariz,mexendo no olho...
Que guerra essa ,não? A foto da tal nuvem, é coisa de filme de ficção..ou terror?eheh.Manda esse texto para O Boletim.
Besos.
Um ano depois e nada mudou... tomei anti alérgico preventivo e nada. A alergia continua aqui, ali, por toda parte... :((